A semente é um insumo básico no sistema produtivo da agricultura, além de ser protagonista das inovações de tecnologia. Por esse motivo, a qualidade é a base para que se obtenham bons rendimentos, sejam por fatores físicos, fisiológicos ou sanitários. Sementes de baixa qualidade, que não apresentam um bom percentual de germinação, baixo vigor e com sua sanidade comprometida, resultarão em culturas com baixo potencial produtivo.

Sementes que não possuem certificação são consideradas sementes piratas, elas são vendidas no mercado informal e normalmente são comercializadas por fornecedores descredenciados. O uso dessas sementes pode reduzir a produtividade da lavoura, além de elevar o risco de propagação de pragas, aumentando os custos da produção. 

Com base no que é definido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) a certificação de sementes é o processo que objetiva a produção de sementes mediante controle de qualidade em todas as suas etapas, incluindo o conhecimento da origem genética e o controle de gerações.

A qualidade da semente é determinada por suas características genéticas, físicas, fisiológicas e sanitárias.

Características genéticas:

uma semente de qualidade deve apresentar pureza, que é representatividade do seu material genético, além de não sofrer contaminações. 

Características físicas:

a semente não deve conter impurezas e nem danos mecânicos, esses danos podem comprometer a qualidade da semente, porque microfissuras podem ser porta de entrada para patógenos, além de comprometer a estrutura da semente. Danos externos e internos das sementes devem ser avaliados a fim de atestar sua qualidade física.

Características fisiológicas:

são características como vigor e germinação de sementes, que reflete diretamente na capacidade de desenvolvimento da planta a campo, na uniformidade de estande e na velocidade de germinação.

Características sanitárias:

a semente deve apresentar um certo nível de pureza, não contendo sementes de espécies daninhas, doenças, patógenos e fungos que possam vir a prejudicar o desempenho das plantas.

As sementes que possuem certificação de qualidade trazem muitos benefícios sendo alguns deles: 

  • Reduz a entrada de plantas voluntárias de outras culturas;
  • Evita a introdução de novas espécies de plantas daninhas;
  • Reduz o risco de contaminação da área com novos patógenos;
  • Conhecendo a procedência da semente, o produtor sabe a quem recorrer caso ele precise de apoio técnico.

O sucesso da lavoura, de qualquer que seja a cultura, depende de diversos fatores, um deles, é a utilização de sementes de alta qualidade, que dão origem a plantas de alto vigor, que consequentemente, possuem um desempenho superior no campo. As sementes de elevada qualidade têm acesso aos avanços genéticos, com as garantias de qualidade e tecnologias de adaptação nas diversas regiões, proporcionando maiores produtividades. Portanto, o estabelecimento da lavoura com sementes da mais alta qualidade é de fundamental importância.

Leave a Reply