Para produzirmos mais precisamos usar os fertilizantes de forma eficiente. A qualidade dos fertilizantes é um fator que interfere diretamente na eficiência da adubação.

Você conhece a qualidade do seu fertilizante?

Queremos produzir mais, e uma das maiores restrições para o aumento da rentabilidade das lavouras agrícolas é o estado nutricional das plantas. Como vimos no artigo anterior intitulado “5 passos para interpretar corretamente uma análise de solo”, temos que avaliar muito bem o solo que é o fornecedor natural dos nutrientes que as plantas irão requerer para o seu bom desenvolvimento. Para atingirmos os patamares de produtividade almejados, lançamos mão do uso de fertilizantes com o objetivo de fornecer às plantas aquilo que não está disponível nos solos. No Brasil são utilizados anualmente cerca de 36 milhões de toneladas de fertilizantes. Segundo estimativas da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), os fertilizantes podem representar até 30% dos custos de produção, como no caso de soja, por exemplo. Por ser um recurso tão expressivo, temos que utilizá-los da maneira mais inteligente possível para obtermos o maior retorno sobre os investimentos, em outras palavras, devemos usar os fertilizantes de forma eficiente.

Características de qualidade dos fertilizantes

Eficiência da adubação

imagem de um pote com adubo diversos
imagem de um pote com adubo diversos

A qualidade dos fertilizantes é um fator que interfere diretamente na eficiência da adubação. Portanto, conhecer as principais características que influenciam no processo é algo fundamental. Contudo, devemos considerar a situação específica em que os fertilizantes são usados. Por exemplo, a volatilização de um produto, como a ureia, pode ou não ser um fator de perda de eficiência dependendo do seu modo de aplicação. Aplicando-a em cobertura e na ausência de, pelo menos, 20 mm de chuva por um período de 30 dias, pode resultar em até 80% de perdas. Se esta ureia for incorporada da maneira recomendada a perda é quase zero.

Segundo o Boletim Técnico nº 04 da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA), as características de qualidade dos fertilizantes são:

1. Natureza Física

  1. Estado físico
  2. Granulometria
  3. Consistência
  4. Fluidez
  5. Densidade

2. Natureza Química

  1. Número de nutrientes
  2. Forma química dos nutrientes
  3. Concentração dos nutrientes
  4. Compostos nocivos aos vegetais

3. Natureza Físico-Química

  1. Solubilidade
  2. Higroscopicidade
  3. Empedramento
  4. Índice Salino

Você conhece a qualidade do seu fertilizante?

Variações nas qualidades de fertilizantes

imagem de diversos fertilizantes em frascos de laboratórios
imagem de diversos fertilizantes em frascos de laboratórios

Existe uma variação enorme de qualidade entre os fertilizantes vendidos no mercado agrícola, e sem as devidas análises laboratoriais de verificação não é possível mensurarmos isso. Algumas das características mencionadas anteriormente, tais como empedramento ou estado físico, podem ser observadas a olho nu. No entanto, para maioria delas precisa-se de uma análise feita em laboratório credenciado no Ministério da Agricultura. Estas variações não necessariamente ocorrem por má fé. Pelo contrário, podem ser totalmente legais.

Vamos tomar por base apenas um item citado acima, relacionado com as garantias dos nutrientes. Conforme a INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 39, DE 8 DE AGOSTO DE 2018, Art. 9o, inciso III, parágrafo 1o, aceita-se uma diferença de até 40% em relação as garantias informadas usando um extrator ácido (ácido cítrico, por exemplo). Em outras palavras, isso quer dizer que, por exemplo, se o rótulo do fertilizante diz que tem 20% de P2O5, por lei, o fabricante está em conformidade, mesmo que na prática o fertilizante apresente apenas 13% de P2O5 solúvel em ácido cítrico a 2% de concentração. Imaginem falarmos em agricultura de precisão com uma imprecisão desta ordem de grandeza! Se realiza um baita trabalho amostrando o solo, mapeando as necessidades, calculando e aplicando quantidades específicas de fertilizantes por talhões ou em taxas variáveis, mas a quantidade realmente disponível para as plantas fica aquém da necessidade calculada por acharmos que o fertilizante contém aquela porcentagem do nutriente informada no rótulo. Inaceitável! Concorda?

Como contornar este problema?

Garantir adubação de qualidade

imagem de um trator adubando o solo
imagem de um trator adubando o solo

A forma mais eficaz e econômica para garantirmos que as plantas das nossas lavouras tenham disponível a quantidade de nutrientes que elas necessitam, é enviar uma amostra do seu fertilizante para um laboratório de análises credenciado no Ministério da Agricultura. Então, compare a quantidade de nutriente informada no rótulo com a quantidade de nutriente solúvel em água do resultado da análise. Dessa forma, garantimos que a quantidade aplicada esteja, de fato, disponível para as plantas. Caso o valor seja diferente do apresentado no rótulo, você poderá recalcular a quantidade do fertilizante a ser aplicado. Com esta informação o agricultor poderá dialogar com o fornecedor, pois passa a conhecer exatamente aquilo que está comprando.

Garantir que a adubação seja feita com um produto de alta qualidade é essencial para o atingimento dos níveis de produtividade almejados.

Quer saber mais a respeito?

Entre em contato com a gente

Envie sua solicitação de tema para que possamos elaborar outros materiais relevantes para você!

Na Solum somos especialistas em análises agronômicas

Fale agora mesmo com nossos consultores.

Consultoria on-line

Leave a Reply