A estrutura do solo é uma propriedade física para a classificação do solo, é importante para analisar as relações e impactos dos manejos trabalhados. A estrutura do solo é a maneira como as partículas minerais (areia, silte e argila) e orgânicas do solo estão organizadas no espaço.

A estrutura do solo tem uma influência na aeração, na infiltração, na disponibilidade de água, na atividade biológica e várias características químicas, influenciando na produtividade das culturas. A estrutura ideal é aquela que dá possibilidade ao solo de sustentar altas produtividades agrícolas e, ao mesmo tempo, desempenhar as suas funções ambientais. 

Para apresentar uma boa estrutura o solo deve conter as seguintes características:

  • Raízes sem comprometimento do crescimento em profundidade;
  • Ausência de partículas de areia, silte ou argila desagregadas. Ou seja, o solo não pode estar “pulverizado”; e
  • Alta atividade biológica, observando-se os próprios organismos ou as galerias formadas pelos mesmos.

[image_with_animationalign=”” animation=”Fade In” border_radius=”none” box_shadow=”none” max_width=”100%”]
Fertilidade do Solo

A implantação de espécies que possuem crescimento de raízes vigorosas nos sistemas de produção. Além disso, o emprego dos fundamentos do SPD (Sistema de Plantio Direto) – rotação de culturas, é importante possuir uma mínima cobertura do solo para a manutenção da estrutura do solo. Nesse caso, o uso de práticas de manejo que permitam uma manutenção e uma melhoria da estrutura do solo é essencial para uma alta produtividade e rentabilidade nos sistemas de produção agrícola.

Entre as práticas de conservação de estrutura do solo, as principais são: 

Plano direto:

No plantio direto, a semeadura é realizada diretamente na palhada, essa técnica consiste em uma cobertura do solo que é fundamental para evitar a erosão. Além disso, ele também dificulta a evaporação de água, aumenta a umidade do solo, fazendo com que seja possível suportar períodos de déficit hídricos, principalmente durante uma estiagem. A palhada, ao se degradar, aumenta a ciclagem de nutrientes, melhorando o teor de nutrientes e a fertilidade do solo.

Rotação de cultura:

Alternar as culturas é eficaz para ter uma melhor reciclagem de nutrientes, quando é colocada outras culturas no sistema, é possível ter uma melhor utilização dos nutrientes. Além de repor matéria orgânica do solo, a rotação de cultura auxilia no controle de plantas daninhas, doenças e pragas, melhora as características físicas, químicas e biológicas do solo, e ajudando na efetividade do sistema de plantio direto.

Leave a Reply