É nas folhas que ocorrem as principais reações metabólicas e as alterações fisiológicas recorrentes de problemas nutricionais das plantas. Com a análise foliar é possível identificar e interpretar diversos fatores que impedem a produtividade, sendo eles: deficiências, toxidez ou desequilíbrio de nutrientes. Dessa forma é possível ter um acompanhamento e uma avaliação da adubação, além de identificar como está a absorção de nutrientes pelas plantas. Além de contribuir no planejamento de adubação para a próxima safra. 

Em geral, para a interpretação dos resultados da análise foliar, é feita uma comparação dos teores de nutrientes em amostras coletadas em talhões das lavouras, com valores padrões estabelecidos para aquela cultura. Esses valores são denominados de níveis críticos.

O nível crítico é o valor da concentração de um determinado nutriente que separa a zona de deficiência da zona de suficiência.

No processo de desenvolvimento de uma planta, alguns nutrientes são considerados como essenciais, eles são os macronutrientes (N, P, K, Ca, Mg e S) e os micronutrientes (B, Cu, Fe, Mn e Zn). Os micronutrientes citados devem constar em uma análise foliar. É importante ressaltar que não é possível compensar um nutriente com outro, pois cada um deles obedece um critério de essencialidade. São três critérios de essencialidade que o nutriente deve conter, portanto, ele é considerado essencial, porque atende a esses critérios. Sendo eles:

  1.  Estar envolvido diretamente no metabolismo da planta;
  2.  Possuir função específica, não sendo, portanto, substituível; 
  3.  Na sua ausência, a planta não completar seu ciclo.

Com a diagnose foliar é possível identificar se os fertilizantes que estão sendo adicionados ao solo estão realmente disponíveis e sendo absorvidos pela planta de maneira eficiente. Então a diagnose foliar apresenta três principais vantagens: 

  • Avaliação do estado nutricional da planta;
  • Identificação de deficiências que provocam sintomas semelhantes;
  • Avaliação da necessidade de adubos ou ajustes no método de adubação.

Realizar um diagnóstico foliar é importante para impulsionar o aumento da produtividade das lavouras, de forma equilibrada e econômica. Entretanto, a análise do estado nutricional efetuada de forma criteriosa tem papel fundamental na manutenção do equilíbrio e racionalidade das adubações, permitindo uma utilização sem desperdícios e um aumento da produtividade.

A Solum é criteriosa na sua metodologia de análise foliar, pois é utilizada a metodologia da ESALQ – USP, que através da análise química foliar é possível determinar os teores nutricionais de Macro e Micronutrientes N, P, K, Ca, Mg, S, Cu, Fe, Zn, Mn, B. Além disso, possui uma confiabilidade e segurança nos resultados pois possui certificações, como acreditação pela Cgcre para ensaios NBR ISO/IEC 17025:2017 sob número CRL 1480, garantindo a competência e a  padronização de todos os nossos processos operacionais e resultados gerados.

Vantagens de realizar Análise Foliar na Solum Laboratório
  • Avalia o estado nutricional e quantifica os macros e micronutrientes da planta;
  • Auxilia o produtor a entender o desequilíbrio nutricional da sua lavoura;
  • Permite verificar a eficácia da adubação e o aproveitamento das plantas;
  • Proporciona melhores tomadas de decisão para o produtor, pois auxilia o direcionamento das próximas adubações;
  • Confiança e segurança dos resultados. 

É importante entender que os nutrientes interagem de várias maneiras, tanto no solo como no metabolismo da planta, desta forma, o excesso de um ou a deficiência de outro, pode levar a um mau desempenho da planta, então tratado de sucesso em nutrição o segredo é o equilíbrio.

Fonte: Embrapa e ESALQ

Leave a Reply