Tanto para o produtor de sementes ou de grãos, o atestado de qualidade dos lotes de sementes é maior garantia da viabilidade agronômica deste fator de produção crucial.

Diferente dos demais insumos usados na produção agropecuária, as sementes são organismos vivos e estão constantemente se transformando pela respiração e gastando suas reservas energéticas.

Também estão suscetíveis ao ataque de fungos e bactérias desde o campo de produção, durante todo o período de transporte e armazenamento, até quando retornam ao campo como insumo para a produção de grãos.

Apesar de parecer apenas um grão seco aos nossos olhos, as sementes são seres vivos complexos que apresentam diversos itens que impactam na sua germinação e no desenvolvimento da planta que ela dará origem.

Todo o planejamento de uma safra se apoia no desenvolvimento inicial da lavoura, ou seja, que todas as sementes plantadas se tornem plantas.

Para que as sementes cumpram com o desempenho esperado é necessária a avaliação de diversos aspectos deste item e para isso é realizada uma bateria de testes: testes de determinação de umidade, germinação, envelhecimento acelerado, tetrazólio, emergência das plântulas no campo, condutividade elétrica, teor de lipídios e atividade de lipoxigenase, fosfatase ácida e inibidor de tripsina.

Na matéria de hoje vamos mostrar os principais benefícios da análise de sementes e mostrar como podemos ajudar você a garantir a qualidade dos lotes de semente do seu negócio.

O sucesso econômico de atividades agrícolas começa com a semente

Análise de sementes

Como a margem de lucro de uma safra é calculada subtraindo-se os custos de produção daquele montante total obtido com a venda da produção, quanto maior for a quantidade produzida, maior será a margem de lucro.

Um dos principais indicadores do quanto será colhido é o número de plantas na área produtiva.

Vamos imaginar que todas as sementes germinem e virem pequenas plantas. Nos próximos meses em campo, inúmeras adversidades causarão a mortalidade de uma porcentagem dessas plantas. Entre insetos praga, doenças de solo, doenças foliares, estiagens, geadas e mais uma longa lista de sinistros que podem ocorrer, o fato é que o número de plantas que chegam ao final do ciclo produtivo é menor do que o havia no início.

Agora imagine o mesmo cenário de condições de campo, porém ao invés de germinar todas as sementes plantadas, apenas 70% germinaram e viraram novas plantinhas que terão de enfrentar todas as condições adversas do campo. E imagine como seria pior ainda com cada grau a menos de germinação!

Sementes são o insumo mais caro dos cultivos

Análise de sementes

Sementes, em geral, somam cerca de 75% do custo variável de produção, que representa todo o desembolso realizado com insumos, operações agrícolas e custos administrativos em um ciclo produtivo (EMBRAPA, 2020).

Qual a importância dada para aquela colheitadeira super tecnológica ou seus tratores cujo valor ultrapassa facilmente um milhão de reais? Ou então aquele pivô central de irrigação que foi financiado para ser pago pelo menos em 5 anos?

Sabia que no horizonte de 10 anos o investimento em sementes que você realiza ultrapassa facilmente o valor destes equipamentos citados?

E não é para menos, conforme mencionado, as sementes são os únicos fatores de produção vivos comercializados (com exceção de alguns organismos de controle biológico) e além de estarem respirando e gastando suas reservas de energia, ainda estão todo o tempo suscetíveis a ataques de organismos nocivos.

Não bastasse isso, ainda carregam o peso da camisa de responder pelas maiores expectativas agronômicas dos sistemas de produção.

Todos esses fatores, aliados às tecnologias genéticas inseridas nas sementes, fazem com que o valor agregado a elas seja elevado.

As análises de qualidade de sementes são a única forma do produtor garantir que esse valor esteja nas sementes e seja de fato entregue ao comprador.

Agora vamos te mostrar quais são os principais fatores que afetam a qualidade das sementes.

Teores de umidade e temperatura na conservação da qualidade de sementes

Análise de sementes

Alto teor de água nas sementes e no ambiente assim como elevadas temperaturas durante o período de armazenamento são fatores críticos no prejuízo da qualidade das sementes, já que umidade e temperatura elevadas aceleram as reações químicas enzimáticas que as degradam.

Como para os demais seres vivos, o teor de umidade e a temperatura afetam diretamente o metabolismo das sementes.

O teor de umidade, seja diretamente nas sementes ou mesmo no ar onde estas sementes se encontram são itens de influência direta na qualidade do lote. Umidade e semente definitivamente não combinam, com exceção da fase pós semeadura.

Sementes devem ser armazenadas apenas quando atingem o nível ideal de umidade, que em geral corresponde a menos de 14%, variando de acordo com a espécie. Em valores maiores do que este a taxa de respiração é muito elevada e em pouco tempo a semente terá gastado toda sua reserva energética ainda em fase de armazenamento.

Além da taxa de respiração acelerada, níveis de umidade elevados geram condições ideais para a ação de fungos e bactérias que são capazes de condenar lotes inteiros de sementes em poucos dias.

Segundo apontado em diversas pesquisas, lotes armazenados em câmara fria são estatisticamente superiores e mantêm seu potencial germinativo, quando comparados àqueles mantidos em condições de ambiente.

Enquanto o avanço no período de armazenamento reduz linearmente o percentual de germinação das sementes armazenadas em ambiente, as que são mantidas em condições controladas (câmara fria) não apresentam valores significativos de alteração na germinação.

A qualidade das sementes é condenada pela presença de fungos e bactérias

Existe uma gama de microrganismos capazes de destruir sementes. Eles chegam até as sementes tanto por infecções ocorridas ainda no campo, quanto pelo ar, na forma de esporos.

Os danos causados pelos microrganismos interferem de forma negativa no poder germinativo, na redução do rendimento e na qualidade dos grãos.

Não bastasse o prejuízo direto causado na taxa de germinação das sementes pelos microrganismos, ainda ocorre o risco destas sementes infestadas servirem como vetores destas doenças para o campo. Algumas delas persistem de um ano ao outro e passam a atacar novas sementes sadias.

São descritos cerca de 19 gêneros de fungos que podem ocorrer em sementes de soja, milho e algodão. Nesta lista existem espécies prejudiciais tanto na fase de campo quanto de armazenamento. As espécies de maio destaque são importância econômica, espécies como Colletotrichum gossypii, C. gossypii var. Aspergillus sp.Penicillium sp, Fusarium oxysporum f. vasinfectum, Verticillium spp., Macrophomina phaseolina, Aspergillus sp. e Penicillium sp. Todas com importância econômica.

Métodos de determinação da qualidade de sementes

Análise de sementes

Dentre os diversos testes existentes, destacamos os testes de envelhecimento acelerado e de germinação a baixa temperatura, realizados antes do armazenamento.

De acordo com os conceitos mais avançados, eles tem maior poder de estimar a viabilidade das sementes, respectivamente, após oito e dez meses de armazenamento.

Na Solum realizamos uma seleção criteriosa de nossos testes. Nossa equipe de especialistas analisa profundamente as metodologias disponíveis na literatura cientifica e adota as que proporcionam os resultados mais significativos ao sistema produtivo.

Técnicas para conservar a qualidade agronômica das sementes

-Redução do teor de umidade e da temperatura ambiente de armazenamento.

As condições de armazenamento são determinantes para garantia da qualidade fisiológica das sementes e, embora a sua qualidade não possa ser melhorada, boas condições durante este período contribuirão para mantê-las viáveis por um tempo mais longo, retardando o processo de deterioração.

Quanto mais secas melhor se mantém a germinação ao longo do armazenamento.

Pesquisas mostram que teor de água inicial de 12% (b.u.) causa uma pequena redução da germinação a partir dos 60 dias permanecendo praticamente constante ao final do armazenamento com valor de 99,6%.

Para o teor de água inicial de 13% (b.u.) ocorre redução no decorrer do armazenamento chegando aos 180 dias com 94,16% de germinação; já para o teor de água inicial de 14% (b.u.) é observada uma redução maior da chegando ao valor de 77,3% de germinação no final dos 180 dias de armazenamento.

O tratamento de sementes com fungicidas e inseticidas tem sido adotado rotineiramente pelos produtores de sementes, uma vez que, as sementes tratadas apresentam melhor conservação.

Além do controle exercido sobre os microrganismos transmitidos pelas sementes, os produtos químicos têm, com bastante freqüência, ação residual que protege as sementes e as plântulas contra a invasão de microrganismos do solo e do armazenamento, principalmente quando as condições externas não são favoráveis à germinação, ao crescimento e à conservação

A porcentagem de emergência para as sementes tratadas varia, tendo sido registrados em pesquisa acréscimo de de 44,3%, em relação às sementes não tratadas, confirmando a importância do tratamento fungicida. Mesmo quando as condições de germinação e emergência são ideais, pode haver a ocorrência de patógenos associados às sementes. Outros tratamentos estudados são com os fungicidas thiram, benomil, thiabendazole e com as misturas carboxim+thiram, carbendazim+thiram, iprodione+thiram, thiram+captan, carbendazin+thiram e thiabendazole + thiram

A importância de realizar análise da qualidade das sementes em um laboratório especializado, para garantir a rentabilidade de grandes áreas produtivas

Seja para vender ou para comprar sementes é necessário um certificado de qualidade do lote. Este certificado possui um prazo de validade. Concluímos então que o valor de um lote de sementes parte de um teto e vai diminuindo com o tempo, indo em direção ao seu piso, que é o prazo de validade do teste de qualidade.

Como vimos na matéria, após a colheita das sementes, nas áreas destinadas especialmente para essa finalidade, a degradação do material é um processo continuo e inexorável. O máximo que pode ser feito é a redução da velocidade deste processo.

Além disso, vimos que fora a degradação natural, fatores como elevadas temperaturas, condições de umidade elevada e presença de patógenos aceleram ainda mais este processo, sendo que não é possível determinar a olho nu o grau de conservação das sementes.

A semeadura representa a maior fatia dos investimentos na safra, a operação de semeadura de grandes culturas é realizada com o máximo de antecipação possível pois as horas de incidência solar são o principal insumo que faz a produtividade aumentar.

Considerando estes pontos, realizar a semeadura de um material desconhecido é um erro grave, com grandes chances de comprometer um grande investimento em produção.

Conte com os especialistas da Solum e com as técnicas de análise da qualidade da sua semente, para que a sua safra comece sempre com o pé direito!

Na Solum somos especialistas em análises agronômicas

Fale agora mesmo com nossos consultores.

Consultoria on-line

Leave a Reply