A rentabilidade das atividades agrícolas as tornam uma opção excelente de investimento. Os números atuais do agro brasileiro mostram que o setor está em pleno desenvolvimento e as demandas internas ou externas do nosso produto só tendem a aumentar. Isso mostra que o Brasil ainda tem muitos desafios pela frente no estabelecimento de uma agricultura que possa atender, de modo adequado, a necessidade mundial de alimentos.

Esse mesmo cenário é extremamente animador para investidores, pois, nesse tipo de atividade econômica, tudo que é produzido tem mercado e não existe um limite de ganhos. Quanto mais se produz, mais se ganha.

A agricultura brasileira é muito diversificada no quesito tecnificação. Existem produtores de commodities de todos os níveis, desde aqueles que tomam decisões de modo intuitivo, de acordo com as suas vivências, até as grandes empresas que possuem frotas de inúmeros maquinários e centenas de milhares de hectares cultivados todas a safras.

A principal vantagem em lançar mão de práticas tecnificadas é o aumento da lucratividade. As técnicas agrícolas, como manejo da fertilidade dos solos, manejo da irrigação, técnicas de plantio e semeadura, Manejo Integrado de Pragas e Doenças, entre outras, foram desenvolvidas para dar mais condições de desenvolvimento para as culturas.

Nessa matéria, vamos falar sobre a Análise de Fertilidade dos Solos. Do que exatamente se trata este procedimento, qual sua importância e seus benefícios para os produtores agrícola.

O que é análise da fertilidade do solo?

Análise da fertilidade do solo

É no solo que os cultivos fixam suas raízes para se nutrirem e também se sustentarem fisicamente.

O solo é um dos recursos naturais que são fatores de produção. Os demais são relacionados a condições ambientais, como regime de chuvas, temperatura e altitude.

O Brasil possui ótimas condições agronômicas em praticamente toda sua extensão. Isso ocorre devido ao ótimo regime de chuvas, altas temperaturas e extensão territorial para grandes cultivos com solos bem agricultáveis.

Uma característica em comum entre a grande maioria dos solos brasileiros é sua elevada acidez. As condições tropicais agiram durante milhões de anos nos materiais rochosos, em um processo conhecido como intemperismo. Ele se caracteriza por ser agente causador de transformações definitivas no material rochoso de origem, reduzindo a concentração de elementos nutritivos para as plantas, favorecendo o acúmulo de elementos tóxicos, como o alumínio (Al+3) e o hidrogênio (H+).

Além desse processo de origem causar alterações químicas nos solos, todo tipo de atividade agrícola realizada, como cultivos, pastagens, recuperação de áreas degradadas, não executar o manejo de conservação do solo e qualquer outro, também causa alterações importantes que implicam diretamente no sucesso das atividades a serem realizadas em seguida.

Estamos tratando da Fertilidade do Solo. Esse termo refere-se à capacidade de determinado solo em dar condições gerais ótimas de desenvolvimento para a cultura a ser implantada, englobando as características químicas, físicas e biológicas deste solo.

Portanto, na Análise de Fertilidade dos Solos, é realizada uma bateria de análises químicas e físicas, seguindo padrões analíticos rigorosos. O intuito é determinar, com precisão, as necessidades de correção do solo e adubação, servindo também como ferramenta de planejamento agrícola, de acordo com o perfil de fertilidade observado.

O resultado da análise é similar ao resultado de um exame de sangue: existem diversas classes determinadas, correspondendo aos teores dos nutrientes: Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Cobre, Manganês, Magnésio, Molibdênio, Cálcio, Zinco, Cloro e Boro além da dos indicadores: Saturação por Bases, Saturação por Alumínio, Acidez Total e Capacidade de Troca Catiônica. Os parâmetros qualitativos de cada teor variam com o cultivo a ser realizado. Vamos tratar da avaliação na Análise da Fertilidade do Solo e dos métodos de recomendação de correção e adubação mais adiante.

Método de coleta de solo para análise de fertilidade

Análise da fertilidade do solo

Apesar do imenso volume de terra em uma propriedade agrícola, apenas alguns quilos são enviados para a análise. Isso ocorre pois os métodos analíticos, de coleta de solo e o processamento dos resultados permitem que essa pequena amostra seja uma representação fiel da condição de todo o solo do campo.

Portanto, é crucial fazer a coleta de modo adequado, já que as análises químicas são muito sensíveis a pequenas alterações. Logo, todo o processamento dos resultados é elaborado levando em conta que o solo que está sendo avaliado carrega as informações da camada agricultável do solo, onde a maior parte das raízes vai se desenvolver.

Metodologia

De acordo com a cultura a ser executada, existem algumas variações na forma de se coletar o material para análise que podem variar em termos de:

Profundidade
Ferramentas
Distribuição dos pontos de coleta na área
Quantidade de amostras por hectare

Passo a passo para a coleta de solo

O primeiro passo é subdividir a área total em áreas menores. O ideal é que essa subdivisão seja feita criando subáreas com características semelhantes, como declive do terreno, textura do solo, histórico de uso e outros fatores que já interferem na fertilidade do solo naturalmente. Isso é priorizado para que não seja representada uma condição física/química que não represente bem as necessidades de adubação e correção.

A forma mais comum de se realizar a coleta do solo é a manual, onde devemos percorrer a área em zigue-zague, retirando as amostras. A ferramenta mais comum para esses casos é o trado, uma espécie de tubo metálico que é inserido no solo e se preenche de amostras.

Após a inserção do trado, basta retirá-lo da terra e acomodar o material coletado em um recipiente, compondo uma amostra simples. Esta será misturada com as demais amostras, que serão coletadas nos pontos seguintes, formando uma amostra composta, da qual será retirado cerca de 500g para envio ao laboratório.

Geralmente, usa-se a taxa de 1 coleta de solo por hectare, podendo variar de acordo com as recomendações do Engenheiro Agrônomo.

Para onde enviar suas amostras de solo

Conforme mencionado anteriormente, o processo laboratorial e o processamento dos resultados da análise das amostras são extremamente sensíveis a qualquer tipo de alteração na rotina de coleta ou analise.

Os resultados  são cruciais para o sucesso econômico do empresário agrícola, pois corrigir a fertilidade dos solos é a principal medida de segurança econômica que está ao alcance do produtor agrícola.

A partir dessas analises é que serão tomadas as decisões de adequação que correspondem a toneladas de adubos e calcário, quanto maior for a propriedade, mais crítico é a precisão no resultado

Aqui na Solum, somos especialistas em análises químicas e físicas do solo. Também somos referência em precisão analítica, adoção dos padrões de qualidade mais rigorosos e tecnologias que aumentam nossa precisão e velocidade com que conseguimos entregar os resultados.

Temos uma equipe de especialistas conduzindo nosso laboratório que é cadastrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, além de possuir uma serie de certificações de análises foliares e outros procedimentos. Isso tudo é o que torna a Solum a escolha mais segura para que você envie suas amostras de solo para serem analisadas.

Baixe o nosso Manual Prático de Coleta Gratuitamente

Tenha acesso ao conteúdo exclusivo. Preencha seus dados abaixo:

loading...

Recomendações de correção e adubação a partir da análise de solo

Análise da fertilidade do solo

Recomendações de manejo do solo devem ser feitas mediante aos resultados das análises de laboratório, pois cada área tem suas características químicas e físicas. Além disso, existe uma sequência correta de ações para que se obtenha sucesso no manejo da fertilidade.

Não há uma recomendação de adubação que vá bem na maioria das situações. Cada uma delas apresenta condições químicas e físicas distintas.

Além disso, cada cultura tem um tipo de exigência quanto a acidez, saturação por bases, limite de saturação por alumínio, capacidade de troca catiônica e também de exigência nutricional.

No Brasil, essas recomendações passaram a tomar um aspecto regionalista, ou seja, cada região tem seu método de análise e interpretação dos resultados.

No estado de São Paulo, as metodologias estão descritas no Boletim 100 elaborado pelo Instituto Agronômico de Campinas.

Benefício de se realizar a análise da fertilidade do solo

  • Tem baixo custo.
  • É a principal ferramenta do planejamento agrícola.
  • Funciona como um exame profundo de saúde.
  • Permite obter o máximo de resultado possível.
  • Serve para conservar o solo, seja como recurso natural, seja como fator de produção agrícola.
  • No caso de produtores que adotem o Sistema de Plantio Direto ou estejam em fase de transição, pela análise de solos é possível acompanhar o sucesso da implantação e também quantificar a redução na adubação, devido ao aspecto nutritivo desta pratica agrícola avançada.

Na Solum somos especialistas em análises agronômicas

Fale agora mesmo com nossos consultores.

Consultoria on-line

Leave a Reply